domingo, 23 de janeiro de 2011

Num trem pras estrelas…

“São 7 horas da manhã
Vejo Cristo da janela
O sol já apagou sua luz
E o povo lá embaixo espera
Nas filas dos pontos de ônibus
Procurando aonde ir
São todos seus cicerones
Correm pra não desistir
Dos seus salários de fome
É a esperança que eles tem
Neste filme como extras
Todos querem se dar bem”

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

é, deu.

3 anos depois e retomamos o intimismo mal disfarçado desse blog… Eu quero formar e cuidar da minha vida, diabos.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Engenharia reversa

Sabe, depois de algum tempo a gente percebe que todos os textos perfeitos que de tanto nos valíamos quando mais novos, ou mesmo ontem, eram apenas reflexos de um ego um tanto e quanto inflado. Em 10 anos o que eu penso agora não vai importar muito ou mesmo nada. Alguém lê, sim, alguém sempre vai querer ler, se isso importa, acho que não.

Frustrações são coisas que nos abatem como martelos voando a esmo, o que eu quero dizer com tudo isso é que não adianta nos preocuparmos com as coisas erradas, basta valorizar as certas e tentar manter o rumo. Felicidade é um estado de espírito, tal qual o tédio ou mesmo o sufoco. Correria por correria, prefiro assistir à maratona de são Francisco pela tv.

Você não vai me entender assim de primeira, não que eu seja complexo, longe disso, mais linear que o tempo, apenas não sou muito exato. Mas você não quer ou precisa me entender, existe mais coisas para se fazer e mais com o que se preocupar ou mesmo ocupar. Mais fácil comer pipoca que oferecer o pote. E o filme segue, o filme sempre segue, sem intervalos comerciais.

 

Eu preciso muito, muito mesmo, de uma luz.

”Que os bons ventos estejam lá por nós no final”.

Tudo outra vez.

Olá 2011, agora nós começamos oficialmente.

Deixando de lado as implicâncias de um ano novo, acho que vai dar tudo certo.