segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Engenharia reversa

Sabe, depois de algum tempo a gente percebe que todos os textos perfeitos que de tanto nos valíamos quando mais novos, ou mesmo ontem, eram apenas reflexos de um ego um tanto e quanto inflado. Em 10 anos o que eu penso agora não vai importar muito ou mesmo nada. Alguém lê, sim, alguém sempre vai querer ler, se isso importa, acho que não.

Frustrações são coisas que nos abatem como martelos voando a esmo, o que eu quero dizer com tudo isso é que não adianta nos preocuparmos com as coisas erradas, basta valorizar as certas e tentar manter o rumo. Felicidade é um estado de espírito, tal qual o tédio ou mesmo o sufoco. Correria por correria, prefiro assistir à maratona de são Francisco pela tv.

Você não vai me entender assim de primeira, não que eu seja complexo, longe disso, mais linear que o tempo, apenas não sou muito exato. Mas você não quer ou precisa me entender, existe mais coisas para se fazer e mais com o que se preocupar ou mesmo ocupar. Mais fácil comer pipoca que oferecer o pote. E o filme segue, o filme sempre segue, sem intervalos comerciais.

 

Eu preciso muito, muito mesmo, de uma luz.

”Que os bons ventos estejam lá por nós no final”.

2 Críticas:

Rubian Calixto disse...

Cara, que bacana seu blog!
Estou acompanhando seus posts e me encantando. Assim como você, costumo escrever na 3ª pessoa e também fico me perguntando as mesmas coisas diariamente. E só me veem mais perguntas, nunca respostas.

Camilla disse...

show de bola, não tem importância não ter sido exato porque foi o suficiente pra mim :) bejoka mano